A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão regulador do mercado de capitais brasileiro, divulgou nota hoje informando que está promovendo uma avaliação preliminar a respeito das denúncias envolvendo as empresas de Eike Batista. Com relação às informações divulgadas nesta data e referentes à operação da Polícia Federal envolvendo as empresa OGX e MMX, a CVM esclarece que já está promovendo uma avaliação preliminar do assunto.

A Superintendência de Relações com Empresas da CVM já oficiou a MMX e, posteriormente, a OGX para que fornecessem informações a respeito", diz a nota.

A CVM acrescenta que, no momento em que pedia esclarecimentos às empresas, a MMX arquivou comunicado ao mercado no qual nega que tenha cometido irregularidades na concessão da estrada de ferro do Amapá, que liga os municípios de Serra do Navio e Santana. A irregularidade é apontada na Operação Toque de Midas, da Polícia Federal. A concessão é administrada hoje pela MMX Amapá, cujo controle foi vendido no início do ano para a companhia sul-africana Anglo American.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.