RIO - Os altos preços dos adubos e fertilizantes contribuíram para que a estimativa de safra para 2009 caísse 3,8% frente ao resultado esperado para 2008. De acordo com o segundo prognóstico do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a safra de grãos colhidas no país no ano que vem será de 140,2 milhões de toneladas, contra 145,7 milhões de toneladas estimadas para este ano.

Mauro André Andreazzi, gerente de agricultura do IBGE, comentou que os agricultores tentam reduzir os custos com fertilizantes dedicando uma área maior para plantação, o que não evita a queda prevista na produção. Segundo o LSPA, a área plantada deverá subir 0,9% no ano que vem, para 47,6 milhões de hectares, contra 47,2 milhões de hectares este ano.

" O adubo já estava alto antes da crise internacional e agora sofre os efeitos da alta do dólar, já que a maior parte dos insumos é importada " , destacou Andreazzi.

Entre os principais grãos produzidos pelo país, a maior queda na produção é do milho, que sofre mais fortemente os efeitos da redução das cotações internacionais. Conforme o especialista do IBGE, o produto chega a ser vendido entre R$ 7 e R$ 11 a saca de 60 quilos, valor que mal paga os custos de produção.

Andreazzi explica que o comportamento dos preços do milho é influenciado por uma expectativa passada de alta na exportações decorrente da decisão do governo dos Estados Unidos de aumentar a produção de etanol a partir do milho. Com a crise financeira, os preços desabaram e, com isso, os agricultores diminuíram a área plantada do milho 1ª safra em 0,5%, para 9,378 milhões de hectares.

Com a redução adicional do uso de fertilizantes para combater a escalada de custos, a produção de milho na primeira safra deverá cair 7,4% em 2009, para 37 milhões de toneladas.

A soja e o arroz - que juntamente com o milho devem responder por 90,1% da produção brasileira de grãos no ano que vem - terão comportamentos melhores. A soja terá produção de 59,821 milhões de toneladas, resultado 0,2% menor que o de 2008, enquanto a área plantada subirá 0,3%, para 21,342 milhões de hectares.

A produção de arroz aumentará 0,8%, para 12,221 milhões de toneladas, para uma área plantada de 2,873 milhões de hectares, 0,4% acima da de 2008. Andreazzi observou que os arrozeiros, ao contrário dos agricultores de soja e milho, ainda se beneficiam de bons patamares de preços.

O IBGE divulgou ainda a 11ª estimativa da safra de grãos para este ano. A expectativa é de um crescimento de 9,4% da produção frente a 2007, para 145,7 milhões de toneladas, enquanto a área plantada subirá 4,1% na mesma comparação, a 47,2 milhões de hectares.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.