Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Cuba não tem como pagar dívida externa, segundo imprensa oficial

Havana, 29 set (EFE) - Cuba não pode assumir os pagamentos de sua dívida externa devido ao bloqueio que os Estados Unidos mantêm contra o país há quase 50 anos, afirma um artigo divulgado em Havana pela imprensa oficial.

EFE |

O bloqueio impede Cuba de "receber uma grande receita por exportações e bens de serviços" e "impossibilita" o país de "assumir os pagamentos de sua dívida externa", diz o texto, publicado no site oficial "Cubadebate".

De acordo com o Escritório Nacional de Estatísticas, Cuba tinha, em 2006, último ano do qual se dispõe de informação oficial, uma dívida externa de US$ 7,793 bilhões.

"Até dezembro de 2007, segundo cálculos conservadores, o criminoso cerco protagonizado por Washington tinha causado ao Estado cubano danos econômicos no valor de mais de US$ 93 bilhões, 12 vezes o valor da dívida externa das Grandes Antilhas", denuncia o artigo.

A nota, assinada pelo jornalista Patrício Montesinos, apareceu no site "Cubadebate", onde o ex-presidente Fidel Castro publica freqüentemente suas colunas de "Reflexões", e foi enviada por e-mail a correspondentes estrangeiros credenciados em Havana.

Após a passagem dos furacões "Ike" e "Gustav", que causaram perdas estimadas em mais de US$ 5 bilhões, o Governo do general Raúl Castro e o ex-líder expressaram a necessidade de revisar as prioridades econômicas cubanas, mas, até hoje, a imprensa oficial não tinha falado em suspender a dívida externa.

"A guerra econômica, comercial e financeira aplicada pelos Estados Unidos esteve voltar a despojar Cuba de sua receita por exportações e bens de serviços, obstaculizar o acesso a fontes de financiamento, e, além disso, provocar um aumento de seus gastos", afirma Montesinos.

"O assédio de Washington provocou a Cuba, em 2007, afetações em suas exportações avaliadas em US$ 1,745 bilhão, e despesas em seu comércio exterior superiores aos US$ 956,2 milhões", acrescenta o artigo, que cita um recente relatório do Ministério de Exteriores cubano. EFE am/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG