SÃO PAULO - A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, enviou hoje um projeto de lei ao congresso do país com o objetivo de pôr fim ao sistema de previdência privada daquele país, criando um regime único estatal. O novo sistema deve seguir o modelo de repartição - como ocorre com o INSS no Brasil -, em oposição ao atual, de capitalização, e será administrado pela Administração Nacional da Seguridade Social (Anses, na sigla em espanhol).

A medida ocorre após os fundos de pensão do país terem registrado fortes perdas nos seus portfolios com a atual crise internacional. Segundo a imprensa local, esses fundos teriam um patrimônio equivalente a US$ 30 bilhões e teriam perdido cerca de 20% do seu valor recentemente.

A União de Administradores de Fundos de Aposentadorias e Pensões (UAFJP, na sigla em espanhol) da Argentina divulgou comunicado criticando durante o governo daquele país, argumentando que deve se observar os resultados de longo prazo para esse tipo de aplicação. A entidade ressalta que as aplicações tiveram um crescimento quase constante nos 14 anos de existência do sistema.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.