Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Cristina Kirchner faz primeira visita oficial ao Brasil neste sábado

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, iniciará neste sábado sua primeira visita oficial ao Brasil. Ela assinará, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um acordo para aumentar as exportações argentinas e para um financiamento conjunto de projetos de investimentos no país vizinho, com o objetivo de reduzir o alto déficit comercial.

AFP |

Kirchner ficará no Brasil até segunda-feira. Um dos principais motivos de sua visita é a obtenção de uma linha de crédito de até 200 milhões de dólares para financiar obras de infra-estrutura na Argentina.

"Cristina e Lula assinarão um acordo de cooperação junto com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e com os argentinos Banco Nación e Banco de Investimento e Comércio Exterior (BICE)", informou à AFP uma fonte oficial.

O convênio permitirá a criação de "um fundo alimentado com recursos procedentes das três entidades para financiar projetos de investimentos na Argentina e exportações com tarifas preferenciais da Argentina para o Brasil", declarou.

"O acordo deve servir para reduzir o déficit comercial em relação ao Brasil", destacou a fonte, lembrando a crescente desigualdade entre os dois países no âmbito do comércio bilateral.

De acordo com a consultoria Abeceb.com, o déficit comercial da Argentina com o Brasil foi de 3,555 bilhões de dólares entre janeiro e agosto, um crescimento de 41,6% em relação ao mesmo período de 2007.

O volume total do comércio bilateral entre os dois países alcançou 25 bilhões de dólares em 2007. As autoridades prevêem para este ano um volume total de 30 bilhões.

Os dois dirigentes também conversarão sobre o projeto de eliminar o dólar do comércio bilateral, substituindo a moeda norte-americana por pesos e reais.

O intercâmbio comercial em moedas locais já está sendo testado em operações simuladas por 26 entidades bancárias da Argentina e 16 do Brasil, e se encontra em sua última fase de ajustes, com avaliações "satisfatórias", segundo o Banco Central da Argentina.

Os dois dirigentes também conversarão sobre o projeto de criar uma Comissão binacional da energia nuclear.

"A questão nuclear será analisada, e será definido o cronograma das reuniões técnicas de outubro", declarou à AFP uma fonte da Chancelaria argentina.

Lula e Cristina Kirchner anunciaram, em fevereiro passado, em Buenos Aires, a construção de uma companhia binacional de enriquecimento de urânio.

A Argentina, que exporta tecnologia nuclear, é o primeiro país sul-americano a ter desenvolvido essa indústria e tem, atualmente, duas centrais nucleares ativas e uma terceira em construção.

Em 2007, Lula decidiu relançar o programa nuclear brasileiro. O Brasil possui a sexta maior reserva de urânio do mundo.

Cristina Kirchner iniciará sua viagem em Recife, onde assistirá à inauguração de uma usina de produção de moinhos de vento, cujo proprietário é o IMPSA, um grupo dirigido pelo argentino Enrique Pescarmona.

A presidente argentina viajará acompanhada dos ministros Jorge Taiana (Relações Exteriores) e Carlos Fernandez (Economia) e governador da província de Buenos Aires, Daniel Scioli.

No domingo, Cristina Kirchner assistirá, em Brasília, aos desfiles que marcarão o Dia da Independência. No dia seguinte, se reunirá com Lula no Palácio do Planalto e encerrará sua agenda com visitas ao Supremo Tribunal Federal e à sede do Congresso.

Leia tudo sobre: argentina

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG