Bancos espanhóis não terão recapitalização retroativa

Governo espanhol esperava poder contar com a ajuda do fundo de resgate da zona do euro para recapitalizar os bancos do país, após a implementação do supervisor bancário

Agência Estado |

Agência Estado

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, descartou a possibilidade de os bancos da Espanha serem capazes de pedir, retroativamente, uma recapitalização direta pelo Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, na sigla em inglês).

"Não haverá uma recapitalização bancária direta retroativa para os bancos da Espanha. Quando a recapitalização direta for possível, então ela vai se aplicar somente para futuras necessidades dos bancos. Eu não acho que nós teremos problemas com os bancos espanhóis uma vez que o supervisor bancário estiver estabelecido", disse Merkel ao fim da reunião de cúpula de dois dias da União Europeia, realizada em Bruxelas.

O governo espanhol esperava poder contar com a ajuda do fundo de resgate da zona do euro para recapitalizar os bancos do país, após a implementação do supervisor bancário comum do bloco. Mas Merkel destacou que qualquer recapitalização direta dos bancos somente poderá ocorrer "após o novo supervisor estar totalmente pronto e operante", o que, segundo ela, vai levar algum tempo.

"É preciso que haja um salto qualitativo na supervisão bancária", afirmou Merkel, apontando que mesmo após o estabelecimento de uma estrutura legal, no fim deste ano, muitos detalhes ainda precisarão ser resolvidos. Essa nova autoridade precisará de centenas de funcionários e ainda depende do aval do Parlamento Europeu. "Nós precisamos mais de rigor do que de velocidade".

Em relação à situação da Grécia, a líder alemã disse que o país ainda tem algum caminho a percorrer para cumprir obrigações combinadas com os credores internacionais, mas Merkel comentou também que os gregos têm bons prospectos na zona do euro se implementarem as reformas prometidas. A chanceler afirmou que está trabalhando em uma cooperação muito próxima com o primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, com quem se encontrou hoje. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: ECONOMIAespanhabancos

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG