Agência diz que programa de compra de títulos por parte do BCE reduz riscos para o país

Agência Estado

A Moody's Investors Service reafirmou o rating dos bônus do governo da Espanha em Baa3, com perspectiva negativa. O rating da dívida de curto prazo da Espanha foi reafirmado em (P) Prime-3. Com as decisões anunciadas nesta terça-feira, a Moody's concluiu a revisão dos ratings da Espanha para possível rebaixamento, iniciada em 13 de junho.

Segundo a Moody's, um dos fatores para a reafirmação dos ratings foi "a avaliação de que o risco de o emissor soberano espanhol perder acesso ao mercado foi materialmente reduzido com a disposição do banco Central Espanhol (BCE) de realizar compras diretas de bônus governamentais espanhóis para conter sua volatilidade.

A agência acredita que a Espanha provavelmente vai pedir uma linha preventiva de crédito do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM). Isso, por sua vez, deverá ajudar a sustentar a demanda por bancos governamentais espanhóis, ao permitir que o BCE ative seu programa de compras no mercado secundário. A entrada em um programa preventivo do ESM não conduzirá por si mesma a um rebaixamento, enquanto a agência acreditar ser provável que o governo mantenha acesso aos mercados privados de capital".

O segundo fator seriam "evidências do compromisso continuado do governo com a implementação de medidas de reformas estruturais e fiscais que são necessárias para estabilizar a trajetória de sua dívida, tal como indicado pelo pacote de medidas fiscais anunciadas em julho, as mudanças no quadro institucional das finanças regionais e, mais recentemente, o anúncio de mais reformas estruturais, a serem implementadas nos próximos meses".

O terceiro fator seria "o progresso na direção da reestruturação do setor bancário espanhol e da melhora na solvência dos bancos afetados, o que deverá ajudar a restaurar a confiança do mercado no sistema bancário da Espanha como um todo".

Segundo a Moody's, a perspectiva negativa para os ratings "reflete a avaliação da Moody's de que s riscos a seu cenário básico são elevados e com viés negativo. Em particular, a qualidade de crédito da Espanha poderá ser afetada negativamente pela falta de progressos em levar as finanças públicas do país a bases sustentáveis.

Choques no nível da área do euro também poderão ter repercussões negativas no rating da Espanha - por exemplo, na falta de progressos concretos na reforma das instituições fiscais, econômicas e regulatórias da zona do euro. Caso qualquer um desses fatores leve a agência a concluir que o governo da Espanha perdeu, ou provavelmente perderá acesso aos mercados privados, a Moody's muito provavelmente implementará um rebaixamento, potencialmente de múltiplos graus".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.