Setor de serviços alemão encolhe inesperadamente em setembro

Sentimento empresarial entre fornecedores de serviços atingiu o menor nível em três anos e meio com a crise da zona do euro pesando sobre a maior economia da Europa

Reuters |

Reuters

O setor de serviços da Alemanha se contraiu inesperadamente em setembro, e o sentimento empresarial entre fornecedores de serviços atingiu o menor nível em três anos e meio, uma vez que a crise da zona do euro pesa sobre a maior economia da Europa.

O Índice de Gerentes de Compra (PMI) do instituto Markit subiu para 49,7 em setembro ante 48,3 no mês anterior, mas permaneceu abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração.

A leitura foi ainda menor do que a preliminar de 50,6 e também ficou abaixo da média de longo prazo do índice, de 53,0.

"Os dados de setembro destacaram uma bem-vinda estabilização da atividade empresarial na economia de serviços alemã", disse o economista sênior do Markit, Tim Moore. "Entretanto, houve amplos sinais de que a confiança permaneceu frágil no final do terceiro trimestre".

Em um sinal preocupante para o investimento futuro, um subíndice que mede as expectativas dos fornecedores de serviços caiu para 43,5 em setembro contra 50,9 no mês anterior, com as empresas destacando preocupações em relação à zona do euro e custos mais altos.

Já o nível de funcionários no setor de serviços alemão recuou no ritmo mais rápido desde o pico da crise financeira em maio de 2009, uma vez que as novas encomendas caíram pelo sexto mês seguido e as empresas tornaram-se mais pessimistas sobre as perspectivas futuras.

Leia tudo sobre: MANCHETESMACROPMIALEMANHA

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG