Desemprego na zona do euro é o maior em 17 anos

Número de pessoas sem emprego totalizou 18,196 milhões em agosto, o nível mais alto desde que os dados começaram a ser contabilizados em janeiro de 1995

Agência Estado |

Agência Estado

O número de pessoas sem emprego na zona do euro totalizou 18,196 milhões em agosto, o equivalente a um aumento de 34 mil em relação a julho, segundo a Agência de Estatísticas da União Europeia (Eurostat). O número marcou o nível mais alto de desempregados, desde que os dados começaram a ser contabilizados em janeiro de 1995.

A leitura deixa a taxa de desemprego na região em 11,4%, inalterada em relação ao mês anterior. O número de desempregados ficou em linha com as previsões dos analistas entrevistados pela Dow Jones.

A Eurostat revisou a taxa de desemprego em julho para 11,4%, novo patamar recorde, da leitura anterior de 11,3%.

Os dados do desemprego de segunda-feira ilustram o abismo entre os países mais fortes e mais fracos da zona do euro, uma das causas fundamentais da crise da dívida. A taxa de desemprego na Áustria foi de 4,5% em agosto, enquanto a Espanha teve taxa de 25,1%.

Os números também destacaram a diferença entre jovens e idosos.A taxa de desemprego entre as pessoas com idade abaixo de 25 anos recuou levemente, para 22,8%, de 22,9%, mas continuou bem acima da taxa de desemprego dos trabalhadores mais velhos.

A taxa de desemprego entre jovens na Espanha foi a mais alta, alcançando 52,9% entre as pessoas com idade abaixo de 25 anos, ante 52,7% em julho.

Nos 27 países da União Europeia, o número de pessoas sem emprego subiu 49 mil, para 25,466 milhões, enquanto a taxa de desemprego ficou inalterada em 10,5%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: ECONOMIAdesempregoeuroEuropacrise

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG