Para ministro, país não pode obeceder cegamente ao mercado

Reuters

O ministro das Finanças da França, Pierre Moscovici, disse neste sábado que a redução do déficit público para 3 por cento no próximo ano foi uma meta realística e que o país precisa trilhar seu próprio curso sobre o assunto para preservar a sua independência.

O governo socialista revelou um duro orçamento para 2013 na sexta-feira, que estabelece taxas maiores para negócios e um tributo para pessoas ricas, mas não reduz os gastos públicos.

Moscovici fez a defesa da ideia em uma entrevista ao jornal Le Monde, argumentando que as duras medidas de austeridade impostas na Espanha, Grécia e Itália não são apropriadas à França.

"Outros países sucumbiram à negligência orçamentária e terminaram nas mãos do mercado, mãos e pés acorrentados", ele afirmou.

"Eles entraram em recessão e seu desemprego aumentou em um clima de tensão social."

(Reportagem de Nicholas Vinocur)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.