Energia eleva inflação da zona do euro em setembro

O escritório de estatísticas da União Europeia, Eurostat, estimou que os preços ao consumidor nos 17 países que usam o euro subiu 2,7%; os preços da energia saltaram 9,2% em termos anuais em setembro

Reuters |

Reuters

A inflação na zona do euro contrariou as expectativas de queda e subiu de novo em setembro, devido principalmente à alta nos preços da energia, mostrou uma primeira estimativa nesta sexta-feira, antes da reunião de política do Banco Central Europeu (BCE) na próxima semana.

O escritório de estatísticas da União Europeia, Eurostat, estimou que os preços ao consumidor nos 17 países que usam o euro subiu 2,7% ante o ano anterior, ante alta de 2,6% em agosto e contra expectativas do mercado de avanço de 2,5%.

Segundo a Eurostat, os preços da energia saltaram 9,2% em termos anuais em setembro, após avanço de 8,9% em agosto. Os preços de alimentos, álcool e tabaco subiram 2,9% em setembro após aumento de 3% no mês anterior.

E os preços de serviços subiram 2% na comparação anual, enquanto os bens industriais excluindo energia avançaram 0,8% ante o ano anterior.

Mais detalhes e a comparação mensal serão publicados em 16 de outubro.

A aceleração dos preços deve complicar as discussões do BCE sobre um possível corte das taxas de juros na próxima reunião, na quinta-feira, depois que dados recentes indicaram que a economia da zona do euro entrou em recessão no terceiro trimestre.

A meta do BCE é manter a inflação abaixo mas perto de 2%, e a maioria dos economistas em pesquisa da Reuters acredita que o banco central vai cortar a taxa de juros para 0,5% neste ano para impulsionar o crescimento, mas provavelmente não na próxima semana.

Leia tudo sobre: NEGOCIOSMACROEUROINFLACAO

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG