Governo francês reconhece existência de mais de 3 milhões de desempregados

Ministro francês do Trabalho, Michel Sapin, atribuiu quadro à política do governo anterior

EFE |

EFE

O ministro francês do Trabalho, Michel Sapin, reconheceu nesta quarta-feira que no final de agosto foi superada a barreira de três milhões de desempregados no país, e atribuiu esse número à política do governo anterior.

Em entrevista à televisão pública "France 2", Sapin afirmou que os dados, que serão publicarão oficialmente nesta tarde, "serão ruins" e a barreira simbólica dos três milhões de desempregados será superada. Em julho, o último número oficial divulgado pelo Ministério do Trabalho apontava a existência de 2,987 milhões de desempregados, após quinze meses consecutivos de aumento da taxa.

O índice de desemprego supera 10% da população ativa se for levado em conta os dados procedentes dos territórios franceses de ultramar. Na França metropolitana, no segundo trimestre do ano, a taxa de desemprego era de 9,7%, mas o ministério não descarta que chegue a 10% em 2012, uma percentagem que não era registrava desde 1999.

Sapin negou que o atual Executivo seja responsável pelos números elevados, e atribuiu o alto desemprego à política do governo anterior do conservador de Nicolas Sarkozy. O ministro afirmou ainda que o desemprego foi um dos motivos que levaram os franceses a decidirem mudar de governo.

Além disso, acusou muitos empresários de terem atrasado demissões até depois das eleições presidenciais "por motivos eleitorais". Sapin garantiu que o governo vai trabalhar para reduzir o número de desempregados para cumprir o compromisso do presidente François Hollande de diminuir este índice em um ano.

Entre as medidas para chegar a esse objetivo estão subvenções ao trabalho dos jovens e a introdução de dispositivos que dificultem as demissões nas empresas que tenham lucro.

Leia tudo sobre: CriseeconomiaFrançadesemprego

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG