RIO - O presidente da Azul Linhas Aéreas, David Neeleman, não acredita que a crise dos mercados americanos vá afetar o setor aéreo. Segundo ele, com a turbulência financeira e a conseqüente queda no preço do barril de petróleo, as ações de empresas aéreas começaram a subir uma vez que o combustível é o principal custo das companhias.

"Acho que foi um caso único de ações com bom desempenho neste momento", avaliou Neeleman, que participou hoje do batismo da primeira aeronave da companhia, um Embraer 190.

O executivo também acredita que o mercado de aviação no Brasil seguirá aquecido. Ele observou que o aumento da renda no país e passagem de 20 milhões de brasileiros da classe D para a classe C abrem um leque maior de passageiros potenciais. "O que temos que fazer é mostrar a essas pessoas que elas também podem viajar de avião", afirmou.

Neeleman frisou ainda que nenhum dos investidores da Azul, que aportaram recentemente mais US$ 50 milhões na empresa, têm posições no mercado subprime ou corre o risco de ser afetado pela crise americana.

"(Rafael Rosas | Valor Online)"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.