Nova York, 5 nov (EFE).- A Prefeitura de Nova York eliminará três mil empregos e adotará outros drásticos cortes de despesas para fazer frente a um crescente déficit fiscal, anunciou hoje o prefeito Michael Bloomberg.

"A gravidade da situação orçamentária exige que tomemos decisões difíceis, que não serão populares para todos", disse Bloomberg em comunicado.

A aguda crise em Wall Street e a queda da atividade econômica abalaram de forma significativa a receita da cidade e, com isso, desencadeou o desajuste do orçamento.

A Prefeitura calcula um déficit acumulado de US$ 4 bilhões no presente ano fiscal, que termina no próximo dia 30 de junho.

Com essa perspectiva, Bloomberg anunciou algumas medidas com as quais pretende economizar US$ 1,5 bilhão, além da eliminação imediata do rebaixamento de 7% que se aplicava à contribuição urbana e da devolução de US$ 400 da qual se beneficiaram nos últimos anos vários proprietários de casas.

Com essas e outras iniciativas, Bloomberg prevê neutralizar uma grande parte do déficit, mas não evitará que o orçamento do próximo ano fiscal enfrente ainda um desajuste de US$ 1,3 bilhão, segundo o Prefeitura.

No relativo corte de emprego, a Prefeitura prevê despedir cerca de 600 trabalhadores e eliminar o resto dos postos mediante baixas incentivadas, entre outras medidas.

Também estão previstas nesse plano reduções de emprego e de algumas atividades relacionadas com a formação no Departamento de Polícia e de Bombeiros. EFE vm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.