A gigante do gás russo Gazprom fez um apelo a Kiev neste domingo para retomar as negociações, cujo fracasso levou, no dia 1º de janeiro, ao corte no abastecimento à Ucrânia.

"Desde 31 de dezembro, a Ucrânia nega-se a negociar com a Gazprom e já recorreu à retenção do gás destinado a consumidores europeus, violando suas obrigações como país de trânsito", declarou o vice-presidente da companhia, Alexander Medvedev, citado em comunicado da Gazprom.

"Conclamamos a Ucrânia a abster-se destas ações ilegais e a voltar a Moscou para negociar, de uma vez por todas, uma situação sobre o fornecimento de gás que seja aceito pelas duas partes", acrescentou.

A Ucrânia e a Rússia tentam negociar, sem sucesso, uma nova tarifa para o gás. São dois problemas. O primeiro é quanto a Rússia paga à Ucrânia para que o País permita que gasodutos russos cortem o Páis. O segundo é o preço que a Ucrânia paga pelo gás russo.

Leia mais sobre a Gazprom

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.