Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Crise deve influenciar na negociação de preços do minério, diz Previ

RIO - A crise financeira internacional e a conseqüente desaceleração da economia mundial vão influenciar a negociação dos preços do minério de ferro no ano que vem. A afirmação é de Sergio Rosa, presidente da Previ, fundo de pensão que integra o bloco de controle da Vale.

Valor Online |

Rosa não descartou, no entanto, a possibilidade de que, na época de definição do novo patamar de preços, a conjuntura internacional já esteja em processo de reversão.

"Está muito difícil de ter projeções seguras do que vai acontecer nos mercados. Ano passado o reajuste foi negociado em abril e em quatro meses muita coisa pode mudar nesse cenário", disse Rosa, que participou do 29º Congresso da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), no Rio de Janeiro.

O executivo, que preside o Conselho de Administração da Vale, afirmou que o cenário de incertezas torna difícil fazer projeções sobre o reajuste do minério de ferro, mas ressaltou a decisão da mineradora de reduzir sua produção anualizada em 30 milhões de toneladas de minério de ferro "responde a uma situação muito imediata do mercado".

"Quando conseguirmos avaliar melhor qual o nível dessa recessão, vai ser possível restabelecer os planos de produção. Mesmo dentro de um cenário de redução de produção, a Vale tem uma produção muito competitiva", disse.

O presidente do fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil reafirmou ainda que vai esperar as explicações sobre as atitudes dos controladores da Sadia, sobre as operações com derivativos que causaram perdas de R$ 750 milhões à companhia.

"Esperamos que a empresa tenha informações positivas para dar, explicações satisfatórias", disse Rosa. "Qualquer executivo está sujeito a tomar decisões dentro de uma margem aceitável e errar. Nesse caso tudo indica que foram ultrapassados certos limites de risco e o que queremos são as explicações da empresa e ouvir como a companhia vai sair dessa situação", acrescentou.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG