Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Crescimento no 3º trimestre foi próximo de 6%, diz Guido Mantega

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quarta-feira, durante sua exposição na reunião com movimentos sociais no Palácio do Planalto, que o Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre deste ano, que deverá ser divulgado nos próximos dias, deve ter registrado crescimento próximo de 6%.

Redação com Agência Estado |

"No primeiro trimestre, estávamos crescendo a 5,8%. No segundo trimestre, 6,1% ao ano. No terceiro trimestre, crescemos algo próximo a 6%, uma marca muito superior à média histórica", informou o ministro.

Segundo Mantega, a trajetória de crescimento do PIB só não deverá se manter por conta da crise financeira internacional. Ele afirmou que o Brasil é, entre os países emergentes, o que menos tem sofrido impacto da crise financeira mundial. "O Brasil demonstrou estar melhor preparado para este tipo de problema causado por esta crise", afirmou o ministro.

Emergentes

Mantega previu que nos países emergentes haverá uma desaceleração da economia, mas "sem recessão". Os países emergentes, segundo sua avaliação, terão na crise um comportamento diferenciado. "Sofrerão também o impacto, que levará a uma desaceleração sem que haja recessão".

Para Mantega, haverá redução dos investimentos, redução do crédito e um considerável aumento do custo financeiro. "E isso é o principal malefício, porque (esses problemas) reduzem o nível da atividade econômica", afirmou o ministro.

"Os emergentes sofrem também uma saída de capitais, como ocorre no Brasil, China e Índia, onde havia abundância de capitais, investimentos e liquidez. No momento em que estrangeiros (que investiam aqui) têm prejuízo no exterior, eles levam o dinheiro embora, para tapar buracos lá." Um dos poucos países emergentes onde há lucro, disse Mantega, "talvez seja o Brasil".

 

Leia tudo sobre: pib

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG