Tamanho do texto

O crescimento na Espanha será nulo ou negativo nos dois últimos trimestres do ano, informou nesta terça-feira o diretor do Banco Central da Espanha, Miguel Angel Fernández Ordóñez.

"A informação de que se dispõe aponta para taxas de variação intertrimestrais praticamente nulas e, inclusive, negativas na segunda parte do ano e no prolongamento do processo de ajuste em 2009", afirmou Fernández Ordóñez ante uma comissão do Congresso de Deputados.

"A situação foi agravada pela crise financeira internacional que introduz uma grande incerteza sobre as perspectivas do crescimento da economia espanhola", concluiu.