Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Crescimento deve ter atingido pico do ano, diz José Paulo Kupfer

O crescimento econômico do Brasil deve continuar, mas, provavelmente, em ritmo menor do que os 6% registrados no primeiro semestre, avalia o economista e colunista do iG José Paulo Kupfer. Esses 6% do primeiro semestre devem ter sido o pico do ano, avalia.

Redação |

 

Ele participou de um chat com os internautas nesta quarta-feira para falar sobre o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Segundo Kupfer, a crise pela qual passa os Estados Unidos afeta a economia mundial e, no momento, "há bolhas para todos os lados, que estão sendo estouradas". Ainda não permitem, porém, ver a trajetória mais provável.

O mais provável, avalia ele, é que haja uma redução no ritmo de crescimento da economia global. "Como o Brasil está menos vulnerável, não deve ser tão afetado. como está mais integrado à economia mundial, deve ser afetado um pouco."

O colunista afirma que o governo tem que acertar as medidas econômicas para que não haja nem inflação, nem deflação, como apontaram alguns indicadores econômicos. "A arte é o ponto justo entre oferta global e demanda global. É coisa dinâmica, que tem a ver com os investimentos. E eles estão crescendo bem aqui na brazucolândia", conclui.

Kupfer afirma que o dado divulgado nesta quarta-feira mede o que passou. "É como olhar pelo retrovisor. é importante para bem dirigir, mas precisamos tomar cuidado para não distrair e enfiar a frente do carro no poste."

Ele afirma não achar correto uma elevação da taxa básica de juros, no momento e afirma que a política monetária do Banco Central, de elevar a taxa Selic, beneficia "os rentistas".

Leia mais sobre PIB brasileiro

Leia tudo sobre: pib

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG