A concessão de crédito ao consumidor recuou nos Estados Unidos em agosto, pela primeira vez desde janeiro de 1998, mais um sinal do crescente estresse financeiro dos consumidores norte-americanos. O volume de crédito ao consumidor recuou US$ 7,9 bilhões (3,7%) em agosto, para US$ 2,577 trilhões, de acordo com relatório do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) divulgado nesta tarde.

O número ficou bem abaixo das previsões de Wall Street, que esperava aumento de US$ 6 bilhões no período. É o primeiro declínio registrado desde janeiro de 1998, quando o crédito recuou 4,35%, ou US$ 4,7 bilhões.

Por outro lado, o Fed revisou o número de julho, quando houve aumento de US$ 5,2 bilhões no estoque de crédito. A estimativa anterior era de um crescimento de US$ 4,6 bilhões.

O recuo de agosto reflete os problemas financeiros por que passam os consumidores americanos. A redução de gastos e o enfraquecimento da economia tendem a diminuir a concessão de crédito. Os dados do Fed excluem hipotecas residenciais e outros empréstimos imobiliários, que tendem a ser muito voláteis a cada mês e são revisados freqüentemente. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.