O Credit Suisse rebaixou sua recomendação para as ações da varejista online B2W em razão das vendas de Natal mais fracas que o esperado, porém manteve o preço-alvo para as ações em R$ 33,00 para 2009. Há instantes, as ações ON da B2W recuavam 3,51%, enquanto o Ibovespa cedia 2,24%, aos 38.

657 pontos.

De acordo com o relatório assinado pelo analista Marcelo Moraes, a demanda não deu sinais de forte deterioração até meados de novembro de 2008. Mas, de acordo com a companhia, as vendas do mês de dezembro, especialmente as de Natal, apresentaram forte contração na comparação com anos anteriores e tiveram crescimento de apenas um dígito na comparação com 2007. O Credit Suisse informa que a direção da B2W informou que as vendas do quarto trimestre de 2008 não devem crescer 40% em comparação a 2007, conforme inicialmente esperado.

"Na nossa visão, essa forte desaceleração aumenta o cenário de incerteza para a companhia no curto prazo. Além disso, pode tornar o mercado mais reticente em relação ao valor justo da companhia, considerando que a avaliação é calcada de forma significativa na projeção de perpetuidade (de 4% em termos nominais) e no fluxo de caixa descontado", escreveu o analista.

A casa aponta, ainda, o aumento dos custos de captação ocorrido desde setembro de 2008 e estima que os varejistas brasileiros estão captando a um custo de cerca de 130% do CDI, ou cerca de 18% ao ano. O Credit Suisse cita também o aumento da competição, face ao anúncio de que as Casas Bahia devem entrar no segmento de varejo online.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.