RIO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) acredita que o consumo aparente de bens de capital no país deverá crescer 19,8% nos 12 meses encerrados em junho. A projeção foi divulgada hoje pelo presidente da instituição, Luciano Coutinho, com base nos resultados apresentados pelo desembolso da linha Finame (que financia principalmente compra de máquinas e equipamentos). O consumo aparente é calculado com base na produção mais importação, descontada a exportação.

Coutinho considerou a previsão divulgada hoje uma antecipação de um documento que o banco prepara para divulgar mensalmente sobre o setor de bens de capitais no país.

O dirigente do banco de fomento afirmou que o quadro da demanda para os bens de capital é de uma suave desaceleração, mas que essa trajetória não compromete o crescimento sustentável da economia. Segundo ele, os investimentos atingiram uma velocidade de cruzeiro e tendem a continuar em patamar elevado.

O que nós achamos é que este indicador (de consumo aparente) vai flutuar em torno de 20% daqui para frente, frisou Coutinho, acrescentando que um crescimento dos investimentos de 12% ao ano é compatível com a meta do governo de elevar a taxa de investimento da economia brasileira para 21% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2010. Atualmente esta taxa está em torno de 18%.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.