Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Cotações do petróleo prosseguem em queda em Nova York

Os preços do petróleo fecharam em baixa nesta terça-feira em um mercado pouco animado às vésperas do Natal, e com os investidores avaliando as repercussões dos cortes de produção decididas pela Opep e a queda da demanda.

AFP |

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de 'light sweet' para entrega em fevereiro, o novo contrato de referência, fechou em 38,98 dólares, uma queda de 93 centavos em relação ao fechamento de segunda-feira.

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte para entrega em fevereiro caiu 1,09 dólar em relação ao fechamento de ontem, ficando em 40,36 dólares.

"O mercado está esperando para ver se a Opep conseguirá se conformar com seu último corte de produção, para tentar responder à queda da demanda em um mundo abalado pela crise econômica", comentou Andy Lipow, da Lipow Oil Associates.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) decidiu em 17 de dezembro mais um corte de produção, de 2,2 milhões de barris por dia, afirmando desta forma seu desejo de pôr um fim à despencada dos preços que vem sendo observada desde meados de julho.

Contudo, o mercado está cético sobre a capacidade da Opep de aplicar este corte de produção. Os países membros do cartel já mostraram várias vezes no passado que nem sempre respeitam as cotas estabelecidas por eles mesmos.

Além disso, "as discussões da Opep sempre chegam depois dos fatos", comentou Adam Sieminski, do Deutsche Bank.

"Para que a ação da Opep seja eficiente, é preciso combinar uma verdadeira disciplina dos países membros (sobre o respeito das cotas) com uma melhoria da situação econômica", acrescentou o analista.

Os indicadores americanos publicados nesta terça-feira confirmaram a deterioração da economia. O mercado imobiliário americano desmoronou novamente em novembro, e a Casa Branca já antecipou que o quarto trimestre de 2008 será ainda pior que o terceiro.

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos recuou 0,5% em ritmo anual.

mla/yw/sd

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG