Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Cosan mais perto de levar a NovAmérica

O Grupo Cosan está perto de finalizar a compra da NovAmérica Agroenergia, braço sucroalcooleiro do Grupo NovAmérica, para se consolidar como o maior conglomerado produtor de açúcar e álcool do planeta. Segundo fontes, a ratificação do acordo está prevista para ser oficializada até o final de fevereiro.

Agência Estado |

O negócio deve ser realizado por meio de uma troca de ações da Cosan para a família Rezende Barbosa, controladora da NovAmérica. A operação também envolve um valor financeiro não revelado, além de uma participação de executivos da NovAmérica no conselho administrativo da Cosan.

A Cosan já estaria realizaria o processo de análise de dados na NovAmérica, que deve se estender por 60 dias, quando a operação será ou não concretizada. A avaliação pode inviabilizar a operação, já que Agência Estado apurou que a Cosan sente-se insegura em relação ao endividamento financeiro da NovAmérica Agroenergia.

De acordo com balanço divulgado em dezembro, a dívida total da NovAmérica é de R$ 723,13 milhões, sendo R$ 373,05 milhões com vencimento no curto prazo e R$ 350,08 milhões no longo prazo. No entanto, R$ 150 milhões dessa dívida de longo prazo são debêntures que devem ser resgatadas em dois anos, considerado um prazo curto no mercado diante da atual crise de liquidez.

Com a fusão, o Grupo Cosan elevaria para 51 milhões de toneladas o processamento total de cana, já que as suas 18 unidades moem 44 milhões de toneladas de cana por safra e as quatro unidades sucroalcooleiras da NovAmérica processam mais de 7 milhões de toneladas por safra. O acordo finalizaria uma disputa da Cosan com outras quatro empresas que apresentaram propostas de compra da NovAmérica. As propostas foram apresentadas até o dia 20 de dezembro e o prazo para a decisão expirou em 30 de dezembro de 2008.

Ouvidas pela Agência Estado, Cosan e NovAmérica não confirmaram e nem negaram a informação. A Cosan informou apenas que não comenta especulações de mercado, mas que segue analisando todas as oportunidades de crescimento. Já o Grupo NovAmérica confirmou o afunilamento das negociações, sem citar nomes de companhias, e informou que não há negociações fechadas, mas que elas seguem para um desfecho.

Com usinas nas cidades paulistas de Tarumã e Maracaí, a NovAmérica Agroenergia iniciou seu crescimento no setor sucroalcooleiro com a aquisição da marca União, da Copersucar, em 2005. Comprou ainda unidades de refino em Sertãozinho (SP) e Piedade (RJ). Em 2006, confirmou a construção de uma usina em Caarapó (MS) e, no ano seguinte, comprou a Destilaria Paralcool, em Paraguaçu Paulista (SP). Já em 2008, a NovAmérica informou que negociava a aquisição da Usina Pau DAlho, em Ibirarema (SP), mas desistiu do negócio em função da crise.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG