A Cosan e a empresa química Britanite estão prestes a iniciar testes para o desenvolvimento de um novo tipo de etanol combustível, batizado de etanol aditivado. O projeto, mantido em sigilo pelas duas companhias, foi autorizado pela diretoria da Agência Nacional do Petróleo (ANP) em reunião na semana passada e tem como objetivo encontrar uma fórmula que permita o uso do derivado de cana-de-açúcar em motores a diesel.

A Cosan e a empresa química Britanite estão prestes a iniciar testes para o desenvolvimento de um novo tipo de etanol combustível, batizado de etanol aditivado. O projeto, mantido em sigilo pelas duas companhias, foi autorizado pela diretoria da Agência Nacional do Petróleo (ANP) em reunião na semana passada e tem como objetivo encontrar uma fórmula que permita o uso do derivado de cana-de-açúcar em motores a diesel. Segundo a resolução da ANP que autorizou os testes, o combustível será composto por uma mistura de 94,4% de etanol hidratado e 5,6% de um aditivo chamado de Britadit E, desenvolvido pela Britanite. Durante o período de testes, o produto vai abastecer quatro caminhões da frota cativa da Cosan. As duas empresas se mostraram contrariadas com a divulgação do projeto e não quiseram dar maiores detalhes sobre o assunto. A Cosan limitou-se a confirmar os testes com o etanol aditivado. “No entanto, como esses testes estão em fase experimental, não é possível detalhar as ações neste momento”, concluiu, em nota. Já a Britanite alegou, sem citar nomes, que qualquer divulgação deveria ser feita por “seu parceiro” no projeto. A divulgação das atas de reuniões é praxe na ANP. As informações são do jornal <b>O Estado de S. Paulo.</b>
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.