BUENOS AIRES - Falta de manutenção e de investimentos na rede de distribuição deixam argentinos no escuro por três, quatro dias. Quarteirões inteiros sem luz por três, quatro dias, comerciantes que perdem as mercadorias, protestos, trânsito fechado e panelaços. Os blecautes voltaram a tumultuar a vida dos argentinos na semana passada, após forte onda de calor.

O problema não é a falta de energia, mas de manutenção e investimentos na rede de distribuição.

Perto das eleições presidenciais de outubro, o governo mandou cortar a energia das indústrias para não interromper o consumo das residências - atitude considerada " eleitoreira " pelos críticos e a oposição. Este ano, sem eleições e com a economia em desaquecimento, o governo aparentemente mudou a estratégia. As indústrias não sofreram restrições. Em compensação, as residências enfrentam apagões e tiveram um reajuste de 18% no gás encanado.

(Janes Rocha | Valor Econômico)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.