Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Corte na produção não significa exportações menores, diz MMX

RIO - A crise internacional levou a MMX a reduzir o ritmo de produção de minério de ferro em suas unidades, mas isso não afetou os embarques da companhia para o exterior. Para o gerente de contas da empresa, Thiago David, responsável direto pelas vendas da empresa, a produção menor foi apenas uma forma de diminuir os estoques.

Valor Online |

"Temos material para embarcar. Reduzimos a produção para diminuir o custo de manutenção do estoque", ressaltou.

David afirmou que os embarques da empresa este ano atingirão 4,5 milhões de toneladas a partir da MMX Sudeste e 2 milhões de toneladas da MMX Corumbá. Atualmente, a capacidade de produção da empresa é de 4,5 milhões de anuais no Sudeste e de 3,3 milhões em Corumbá.

Para 2009, estão mantidos os planos de expansão da capacidade para 8,7 milhões de toneladas no Sudeste. Segundo David, a empresa não alterou a expectativa de embarcar toda esta produção no ano que vem.

O executivo, que participou da Americas Iron Ore Conference, no Rio de Janeiro, explicou que a maior parte dos embarques da empresa vai para a Europa, embora haja negociações com chineses e japoneses para futuras vendas.

A crise internacional também não é vista como preocupação de longo prazo para a MMX. O gerente geral de assistência técnica da empresa, Angelo Falco, reafirmou que todas as expansões previstas para empresa estão garantidas até julho do ano que vem e indicou que a expectativa é de uma turbulência de curto prazo. "Estamos confiantes de que o PIB chinês vai continuar crescendo acima de 8% ao ano, com forte demanda para o aço", destacou.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG