Ao contrário do que foi informado em nota anterior, o Ibovespa fechou em alta de 3,08%, aos 39.151 pontos e não com valorização de 3,06%, aos 39.

142 pontos. Segue a íntegra corrigida.

SÃO PAULO - Uma forte retomada das compras na última hora de pregão garantiu fechamento em território positivo para Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nesta quinta-feira. O Ibovespa reverteu perda de 2,9%, encerrando o dia com valorização de 3,08%, aos 39.151 pontos. O giro financeiro somou R$ 4,02 bilhões. Na mínima, o índice testou 36.875 pontos.

Segundo o diretor de renda variável da FinaBank Corretora, Edson Marcellino, mais do que uma melhora de humor, essa puxada de alta deve ser encarada como uma reversão de posições vendidas.

De acordo com Marcellino, muitos investidores estavam apostando na baixa dos preços em função do noticiário negativo dos últimos dias. Mas com a melhora de sentimento em Wall Street, esses mesmos investidores tiveram que correr para cobrir suas posições. "Foi impressionante a velocidade de zeragem em alguns papéis", afirma o especialista.

Em Nova York, as ordens de compras se acumularam depois que o Dow Jones caiu abaixo do importante patamar dos 8 mil pontos, que vinha sendo respeitado desde novembro. A perda do referencial estimulou uma reação técnica e, por volta das 18 horas, o Dow Jones subia 0,30%, enquanto o Nasdaq ganhava 1,49%.

De volta ao mercado interno, Marcellino também lembra que a proximidade do vencimento de opções sobre ações, que acontece na segunda-feira, acentua a instabilidade.

Ainda de acordo com o especialista, acentuadas oscilações de preço, como as observadas hoje, evidenciam que os investidores predominantes no mercado são de "day-trade", ou seja, não montam posições, apenas giram a carteira conforme o humor do dia.

No âmbito corporativo, Petrobras PN liderou a retomada, avançando 3,43%, para R$ 24,10. Vale PNA subiu 2,72%, para R$ 26,40. As siderúrgicas também ganharam destaque, com o ativo ON da CSN mostrando valorização de 4,33%, para R$ 34,65. Gerdau PN fechou com alta de 5,0%, negociada a R$ 16,80.

Os bancos, que caíram forte ontem ganharam fôlego. Bradesco PN subiu 3,04%, para R$ 21,65, Banco do Brasil ON aumentou 6,3%, para R$ 15,00, e Itaú PN subiu 1,80%, valendo R$ 24,80.

Ainda no setor, o papel PN do BicBanco subiu 9,25%, fechando a R$ 4,37, mesmo depois de desmentir que esteja negociando sua venda para o Bradesco. Na máxima, o papel chegou a disparar mais de 17%.

Na ponta vendedora, VCP PN caiu 2,47%, para R$ 16,96. O UBS tirou a recomendação de compra para o papel. Telesp PN perdeu 1,30%, para R$ 41,45, e Natura ON recuou 0,99%, a R$ 20,00.

O ativo PN da Gol teve a maior alta dentro do Ibovespa, avançando 9,88%, para R$ 11,01. Logo atrás ficaram Lojas Renner ON e Net PN, também com ganhos superiores a 9% cada.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.