Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Correção: BicBanco tem lucro de R$ 103,6 milhões no trimestre

Ao contrário do informado anteriormente, o lucro líquido do BicBanco cresceu no terceiro trimestre deste ano em comparação com igual período do ano passado. O resultado ficou estável se comparado ao ganho do segundo trimestre de 2008.

Valor Online |

Segue a nota corrigida:
SÃO PAULO - O lucro apurado pelo BicBanco no terceiro trimestre deste ano mais que dobrou em comparação com o registrado em igual período do ano passado. Entre julho e setembro de 2008, a instituição especializada na concessão de crédito para pequenas e médias empresas lucrou R$ 103,6 milhões, contra R$ 50,3 milhões registrados no terceiro trimestre de 2007. Em comparação com o segundo trimestre de 2008 o resultado ficou praticamente estável (queda de 1%).

O banco começa a apresentação dos seus números falando da crise de liquidez internacional e lembra que o efeito disso sobre o sistema bancário brasileiro se concentrou no mês de setembro.

Por essa razão, o terceiro trimestre apresentou duas fases nitidamente contrastantes, a de crescimento, até fim de agosto, e a de desaceleração/redução das carteiras, a partir de setembro.

Com isto, os volumes de fim de trimestre, em particular da carteira de créditos e de depósitos, já refletem esses problemas, ainda que do segundo trimestre para o terceiro trimestre os créditos tenham crescido 6,3% e os depósitos a prazo, 6,8%.

Nos comparativos com o terceiro trimestre de 2007 o crescimento ainda é bastante expressivo. A carteira de crédito, que somava R$ 9,7 bilhões ao final de setembro, registra aumento anual de 50,8%. Em 12 meses, os depósitos a prazo aumentaram 63,2%, fechando o período em R$ 5,6 bilhões.

O banco também destaca que a rentabilidade sobre patrimônio líquido médio anualizado (ROAE) foi de 26,5%, crescimento de 5,5 pontos percentuais sobre o ROAE do terceiro trimestre de 2007. Os ativos totais estão em R$ 13,186 bilhões, crescimento de 37,3% no comparativo anual.

O resultado da intermediação financeira registrou crescimento de 56,8%, fechando o trimestre em R$ 252,8 milhões. A receita advinda da prestação de serviços aumentou 32,9%, para R$ 14,1 milhões. Por outro lado, as despesas de pessoal e administrativas aumentaram 23,9% e 37,2%, respectivamente, para R$ 33,7 milhões e R$ 30,7 milhões. Já o resultado operacional da instituição ficou em R$ 103,6 milhões, expressivo crescimento de 106% no comparativo anual.

O volume de recursos captados atingiu R$ 10,063 bilhões, aumento de 59,7% nos últimos 12 meses. A maior fatia das captações é feita no mercado domestico.

No trimestre, os ativos de alta liquidez somavam R$ 1,165 bilhão, um aumento de 45% no comparativo anual. Para o banco, este saldo é adequado para as presentes circunstâncias de mercado.

No encerramento do trimestre, as provisões para cobertura de créditos de liquidação duvidosa eram de R$ 184,2 milhões, saldo 42,3% superior ao do terceiro trimestre de 2007.

De acordo com o banco, a provisão mantém um índice confortável de cobertura de 196,2% sobre os créditos vencidos a partir de 15 dias, e de 74,5% sobre a carteira D-H (de maior risco). No período, os créditos vencidos a partir de 15 dias representavam 1% do total da carteira de crédito.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG