Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Correa diz não querer volta da Odebrecht

O presidente do Equador, Rafael Correa, manifestou ontem o desejo de que a companhia brasileira Norberto Odebrecht não regresse ao país e reiterou que, por enquanto, as sanções contra a empresa estão mantidas. Na quarta-feira, a Odebrecht divulgou nota afirmando estar disposta a atendendo a todas as exigências de Correa.

Agência Estado |

Desde o dia 23, as instalações da Odebrecht no Equador estão ocupadas pelo Exército e dois executivos brasileiros estão impedidos de sair do país.

"Estamos analisando questões técnicas, mas, em princípio, minha vontade é que não voltem", afirmou Correa. O Equador decretou o embargo das obras da Odebrecht e suspendeu os direitos constitucionais de seus executivos por causa de uma disputa sobre falhas na hidrelétrica San Francisco que paralisaram a usina em junho, um ano após a conclusão da obra. "Empresas se aproveitaram do país e só com um ato firme, como a expulsão, reconhecem o Estado equatoriano", disse. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG