Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Correa destaca que caso Odebrecht não é contra governo brasileiro

O presidente do Equador, Rafael Correa, disse nesta quinta-feira que a ação contra a construtora Odebrecht, envolvendo uma hidrelétrica feita pela companhia brasileira, não é um problema com o Estado brasileiro.

AFP |

"Não é um caso entre o Estado equatoriano e o Estado brasileiro", declarou Correa dois dias após ordenar o embargo de todos os bens da Odebrecht no Equador e proibir a saída do país de quatro representantes da empresa.

"Respeito muito a opinião de Lula da Silva no sentido de que a Odebrecht é uma empresa respeitável (...) mas este é um problema entre o Estado equatoriano e uma empresa privada".

Correa se referia às declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que a Odebrecht é uma empresa "respeitada no Brasil, e o Equador é um país que mantém relações extraordinárias com o Brasil...".

O presidente equatoriano revelou que conversou "brevemente" com Lula sobre o caso da construtora, por ocasião da recente cúpula da Unasul em Santiago: "Lula me disse: 'Olha, isto é terrível (...) vamos conversar com a empresa, mas devem responder pelo lucro cessante'".

Apesar de afirmar que o problema não é com o Brasil, Correa ameaçou na véspera não pagar os 200 milhões de dólares emprestados ao Equador pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), uma instituição do Estado brasileiro.

"Nós pensamos seriamente em não pagar este crédito do BNDES (...) que o deu por meio da Odebrecht para a construção de (hidrelétrica) San Francisco...".

San Francisco, a segunda hidrelétrica equatoriana, parou de funcionar um ano depois de ser entregue pela Odebrecht, por problemas nas turbinas.

Segundo Correa, a Odebrecht "não cumpriu, eficientemente, seus trabalhos" no Equador e "se negou, de forma irresponsável, a indenizar (o Estado) pelos prejuízos".

SP/ap/LR

Leia tudo sobre: equador

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG