Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Correa assina decreto de expulsão da Odebrecht do Equador

O presidente do Equador, Rafael Correa, informou que assinou no fim de semana um decreto por meio do qual expulsa do país a construtora brasileira Norberto Odebrecht.

Redação com Agência Estado |

Acordo Ortográfico

"Minha decisão é pela saída da Odebrecht do país. Na última quinta-feira eu assinei o decreto para ratificar a expulsão da Odebrecht", disse Correa durante seu programa semanal de rádio. Correa afirmou ter tomado a decisão depois de analisar as conseqüências jurídicas, técnicas e econômicas da expulsão da empreiteira.

O presidente equatoriano também pediu ao governo brasileiro que revise a decisão de cancelar sua missão comercial no Equador.

A missão, que seria liderada pelo ministro brasileiro dos Transportes, Alfredo Nascimento, tinha planos de discutir o apoio financeiro do Brasil à infra-estrutura de transportes do Equador. "Espero que o governo brasileiro revise sua decisão. Nós não entendemos a posição do governo brasileiro, mas a respeitamos. Trata-se de um problema entre o Equador, um país soberano, e uma empresa", argumentou Correa.

Na semana passada, o governo equatoriano rejeitou uma oferta para encerrar a disputa em torno dos problemas ocorridos na construção da usina hidrelétrica de São Francisco. As obras eram realizadas pela Odebrecht e Correa disse ter rejeitado a oferta por causa de irregularidades descobertas nos contratos entre a empresa e o Estado.

No início do mês, a Odebrecht informou ter aceitado os termos determinados pelo governo equatoriano em 24 de setembro para solucionar a disputa depois de Correa ter assinado um decreto ordenando às forças armadas que tomassem as instalações operadas pela empresa. A usina em questão começou a funcionar em meados do ano passado, mas está fechada desde junho por causa de problemas na construção.

Leia tudo sobre: equador odebrecht lula

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG