A Coreia do Sul anunciou que cortará suas emissões de gases-estufa em 30% em relação aos níveis esperados para 2020. Isso equivale a uma redução de 4% comparado com as emissões daquele país em 2005.

"Embora haja perspectivas duvidosas para a reunião de Copenhague, o anúncio voluntário da meta nacional feito pela Coreia do Sul insta a comunidade internacional a fazer esforços responsáveis", disse o presidente Lee Myung-bak. Seu país emitiu em 2005 cerca de 590 milhões de toneladas de gases-estufa, ficando possivelmente em 9.º lugar no ranking de maiores emissores entre os países.

O anúncio foi feito na mesma semana em que o Brasil apresentou no exterior sua meta voluntária de reduzir a taxa de crescimento de emissões entre 36,1% e 38,9% as emissões em 2020. A proposta significa uma redução de 15% em relação ao que o País emitia em 2005 - portanto, superior à adotada pela Coreia do Sul em termos proporcionais.

A Indonésia já havia anunciado uma meta nacional de reduzir a taxa de crescimento em 26%. Os países em desenvolvimento, de acordo com a Convenção do Clima da ONU, não têm obrigação de adotar metas. Mas os países ricos têm pressionado os emergentes a adotarem compromissos desse tipo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.