Tamanho do texto

Winnipeg, 03 - A Coréia do Sul deve reabrir seu mercado de carne bovina para o Canadá. Segundo jornais locais, o governo garantiria acesso para todos os cortes, com e sem ossos, de animais com menos de 30 meses de idade.

A oferta é baseada na categoria de país com risco controlado para a Encefalopatia Espongiforme Bovina (BSE, na sigla em inglês), a doença da vaca louca, da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

A sinalização foi bem-recebida pela Federação Canadense dos Exportadores de Carne. "Isso representaria um acesso comercial viável ao mercado sul-coreano pela indústria canadense de carne bovina e vitela", afirmou Ted Haney, presidente da entidade. "Trata-se de um processo aguardado há muito tempo e de grande valor para os pecuaristas canadenses", completou.

As conversas entre os dois países começaram em novembro de 2007, quando o Canadá oficialmente completou o quinto dos oito estágios do programa de avaliação de risco da Coréia do Sul. Desde então, repetidas tentativas de retomada das negociações pelo Canadá falharam, já que a Coréia do Sul estava mais concentrada na formalização de um acordo com os Estados Unidos também na questão da carne.

O Canadá não exporta carne bovina para a Coréia do Sul desde 2003. No ano passado, a Coréia do Sul importou um total de 256 mil toneladas de carne bovina, volume que deve crescer para 400 mil toneladas em 2015. As informações são da Dow Jones.