Tamanho do texto

Seul, 12 mai (EFE).- A Coreia do Norte anunciou nesta quarta-feira que conseguiu com sucesso desenvolver fusão nuclear, um "ponto de inflexão" na criação de uma nova fonte energética, segundo o jornal norte-coreano "Rodong Sinmun" citado pela agência oficial de notícias local "KCNA".

Seul, 12 mai (EFE).- A Coreia do Norte anunciou nesta quarta-feira que conseguiu com sucesso desenvolver fusão nuclear, um "ponto de inflexão" na criação de uma nova fonte energética, segundo o jornal norte-coreano "Rodong Sinmun" citado pela agência oficial de notícias local "KCNA". Em sua primeira página, o jornal confirma que o "êxito da fusão nuclear é um grande acontecimento que demonstra a alta tecnologia que está progredindo na Coreia do Norte", apesar da comunidade internacional se opor ao desenvolvimento nuclear do regime de Kim Jong-il pela possibilidade de sua utilização para armamento. O "Rodong Sinmun", jornal do partido dos trabalhadores norte-coreano, diz, além disso, que a tecnologia de fusão nuclear foi desenvolvida por cientistas norte-coreanos depois que os próprios solucionaram os problemas que apareceram durante o processo. Ainda de acordo com a publicação, esta tecnologia é o centro de atenção da comunidade científica mundial, pois respeita o meio ambiente, e a Coreia do Norte conseguiu uma saída para desenvolver uma nova fonte de energia. No entanto, as reações de fusão nuclear originam explosões termonucleares, como as causadas por bombas de hidrogênio, e os progressos foram moderados em todo o mundo devido à dificuldade de controle destas reações. O anúncio norte-coreano chega em meio à estagnação das negociações de seis lados sobre o desarmamento nuclear do regime comunista, paralisadas desde o fim de 2008 por iniciativa de Pyongyang e das quais participam as duas Coreias, China, Estados Unidos, Japão e Rússia. No entanto, em sua recente viagem a Pequim, o líder norte-coreano, Kim Jong-il, disse que trabalhará com a China para criar condições que favoreçam o reinício do diálogo multilateral. A Coreia do Norte se comprometeu em 2005 a desmantelar seu programa nuclear em troca de ajuda econômica e de outros incentivos diplomáticos, mas sua promessa segue "no ar" devido à paralisação do diálogo. Acredita-se que a Coreia do Norte tenha plutônio suficiente para fabricar seis bombas atômicas, segundo a agência sul-coreana de notícias "Yonhap". EFE ce/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.