Após três altas consecutivas, Comitê de Política Monetária do Banco Central decidiu segurar a taxa Selic

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou nesta quarta-feira a manutenção da taxa básica de juros (Selic) em 10,75% ao ano. Com a decisão - em unanimidade e sem viés-, a autoridade monetária interrompe um ciclo de três altas consecutivas dos juros.

Em comunicado divulgado após o encontro, que teve a duração de dois dias, o BC disse que "a manutenção da taxa de juros básica no nível estabelecido em sua reunião de julho proporciona condições adequadas para assegurar a convergência da inflação para a trajetória de metas."

"Ao mesmo tempo em que não espera que o nível de inflação registrado nos últimos meses se mantenha em um futuro próximo, o Copom observa a continuação do processo de redução de riscos para o cenário inflacionário que se configura desde sua penúltima reunião", completou a autoridade monetária, no comunicado.

Membros do Copom participam do primeiro dia de reunião para definir taxa de juros, em Brasília
Fellipe Bryan/iG
Membros do Copom participam do primeiro dia de reunião para definir taxa de juros, em Brasília

A decisão veio em linha com o esperado por grande parte dos analistas. Segundo o Departamento de Economia do Bradesco, o BC deve manter os juros em 10,75% também nos próximos dois encontros que ainda acontecerão em 2010.

“Naturalmente, há riscos a esse cenário de recuperação não inflacionária do crescimento, sobretudo advindos de um mercado de trabalho que continua robusto”, disse o banco, em relatório. “Assim, o discurso da autoridade monetária tende a continuar sendo o de cautela, reforçando o compromisso institucional com a meta de inflação, principalmente na eventualidade de alterações no cenário prospectivo.”

Para José Góes, consultor econômico da WinTrade, pesou na decisão do Copom os indicadores de inflação, que apontam para um maior controle dos preços nos últimos meses. “A trégua da inflação observada nos últimos dados, a queda da projeção para o IPCA de 2010 e a piora do quadro externo devem ser determinantes para a decisão do Banco Central”, disse.

O economista da Gradual Investimentos André Perfeito diz que a manutenção dos juros é perigosa. “É preciso ver o desdobramento nos próximos meses. Se os índices de inflação estão para baixo é por conta do grupo alimentação, que tende a subir de forma rápida.”

Perfeito diz que a decisão de hoje joga nas mãos do próximo governo a responsabilidade de retomar o ciclo de alta dos juros, já que há uma tendência de aquecimento da atividade econômica. “Como não aumentou agora, o próximo governo vai ter de aumentar os juros no primeiro trimestre.”

O movimento dos juros

Confira a variação da taxa básica de juros (Selic) nos últimos encontros do Copom

Gerando gráfico...
Fonte: Banco Central

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.