Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Controladora da Braskem subscreve maior parte de aumento de capital

SÃO PAULO - A Braskem informou que seus acionistas subscreveram o equivalente a R$ 2,855 bilhões em ações da companhia, ou 63,45% do aumento de capital inicialmente proposto pela petroquímica, de R$ 4,5 bilhões. Segundo o comunicado da Braskem, do montante subscrito, a BRK Investimentos Petroquímicos - empresa formada por Odebrecht e Petrobras e controladora da Braskem - respondeu por R$ 2,612 bilhões, ou seja a maior parte do aumento de capital. Conforme adiantado pelo Valor em 29 de março, a adesão ao aumento de capital foi baixa porque o preço de emissão, de R$ 14,40 por ação, está acima da cotação de mercado, de R$ 13,10 há instantes. A BRK se comprometeu ainda a adquirir mais R$ 887,3 milhões das sobras de subscrição, totalizando uma participação de R$ 3,5 bilhões no aumento de capital. Desse valor, R$ 2,5 bilhões são da Petrobras e R$ 1 bilhão da Odebrecht.

Valor Online |

SÃO PAULO - A Braskem informou que seus acionistas subscreveram o equivalente a R$ 2,855 bilhões em ações da companhia, ou 63,45% do aumento de capital inicialmente proposto pela petroquímica, de R$ 4,5 bilhões. Segundo o comunicado da Braskem, do montante subscrito, a BRK Investimentos Petroquímicos - empresa formada por Odebrecht e Petrobras e controladora da Braskem - respondeu por R$ 2,612 bilhões, ou seja a maior parte do aumento de capital. Conforme adiantado pelo Valor em 29 de março, a adesão ao aumento de capital foi baixa porque o preço de emissão, de R$ 14,40 por ação, está acima da cotação de mercado, de R$ 13,10 há instantes. A BRK se comprometeu ainda a adquirir mais R$ 887,3 milhões das sobras de subscrição, totalizando uma participação de R$ 3,5 bilhões no aumento de capital. Desse valor, R$ 2,5 bilhões são da Petrobras e R$ 1 bilhão da Odebrecht. Com isso, a operação alcançará um montante garantido de R$ 3,742 bilhões, ou 83,2% do previsto inicialmente. Esse montante pode subir caso os demais acionistas decidam exercer seu direito de adquirir as sobras de papéis. Nesse caso, o interessado deve manifestar interesse na subscrição das sobras entre hoje e o dia 12. Vale lembrar que o preço de aquisição é o mesmo do aumento de capital, ou seja, R$ 14,40 por ação. Esse preço foi definido com base na média das cotações da ação PNA, a mais líquida da Braskem na bolsa, em um período de 15 pregões anteriores ao dia 22 de janeiro, data de anúncio do aumento de capital. O aumento de capital integra a operação de compra da participação da Unipar na petroquímica Quattor pela Braskem e Petrobras, anunciada em janeiro. (Téo Takar | Valor)
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG