Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Contratos de Petróleo fecham em direções opostas em NY e Londres

SÃO PAULO - Depois da alta expressiva de ontem, quando quebraram a sequência de cinco baixas seguidas, os contratos futuros de petróleo seguiram em direções opostas em Nova York e Londres nesta quinta-feira. Os investidores americanos foram surpreendidos pelo aumento inesperado dos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos, fato que acabou ofuscando a divulgação do PIB da China, logo cedo. Os novos pedidos de seguro-desemprego somaram 484 mil na semana terminada no dia 10 deste mês, uma alta de 24 mil em comparação com a marca de 460 mil de uma semana antes. Na média das quatro últimas semanas, houve um acréscimo de 7,5 mil requisições, para 457,750 mil, segundo o Departamento do Trabalho dos EUA.

Valor Online |

SÃO PAULO - Depois da alta expressiva de ontem, quando quebraram a sequência de cinco baixas seguidas, os contratos futuros de petróleo seguiram em direções opostas em Nova York e Londres nesta quinta-feira. Os investidores americanos foram surpreendidos pelo aumento inesperado dos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos, fato que acabou ofuscando a divulgação do PIB da China, logo cedo. Os novos pedidos de seguro-desemprego somaram 484 mil na semana terminada no dia 10 deste mês, uma alta de 24 mil em comparação com a marca de 460 mil de uma semana antes. Na média das quatro últimas semanas, houve um acréscimo de 7,5 mil requisições, para 457,750 mil, segundo o Departamento do Trabalho dos EUA. Já a China informou que seu Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 11,9% nos três primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2009, somando 8,06 trilhões de yuan (US$ 1,19 trilhão). O resultado ficou um pouco acima das previsões dos economistas, que apostavam em uma alta de 11,5%. Os investidores receberam ainda os dados da produção industrial americana, que aumentou 0,1% em março, depois de subir 0,3% um mês antes. No primeiro trimestre, houve expansão a uma taxa anualizada de 7,8%. Em Nova York, o WTI para maio perdeu US$ 0,33, ou 0,4%, para US$ 85,51, enquanto o vencimento de junho subiu apenas US$ 0,02, para US$ 86,75. Já em Londres, o contrato de Brent para maio ganhou US$ 1,02, para US$ 87,17, enquanto o de junho avançou US$ 0,69, para US$ 87,59. (Téo Takar | Valor com agências internacionais)
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG