A conta corrente do balanço de pagamentos do País com o exterior registrou em junho um déficit de US$ 2,596 bilhões, totalizando no primeiro semestre de 2008 um saldo negativo de US$ 17,402 bilhões, o equivalente a 2,51% do Produto Interno Bruto (PIB) - a soma das riquezas produzidas pelo País. De janeiro a junho do ano passado, a conta corrente teve superávit de US$ 2,413 bilhões, o equivalente, à época, a 0,38% do PIB.

Os dados foram divulgados hoje pelo Banco Central (BC).

No resultado de junho, a balança comercial contribuiu com um saldo positivo de US$ 2,718 bilhões, enquanto a conta de serviços e rendas registrou déficit de US$ 5,635 bilhões. As transferências unilaterais tiveram saldo positivo de US$ 320 milhões no mês passado.

No primeiro semestre, a balança comercial contribuiu com um superávit de US$ 11,349 bilhões; a conta de serviços e rendas com déficit de US$ 30,603 bilhões; e as transferências unilaterais, com saldo positivo de US$ 1,852 bilhão.

No acumulado de 12 meses (julho de 2007 a junho deste ano), a conta corrente do balanço de pagamentos acumula um déficit de US$ 18,103 bilhões, o equivalente a 1,32% do PIB.

Investimento estrangeiro

Os investimentos estrangeiros diretos (IED) no Brasil somaram US$ 2,718 bilhões em junho, totalizando US$ 16,702 bilhões no primeiro semestre do ano (equivalente a 2,41% do PIB). Em junho de 2007, o IED havia sido de US$ 10,318 bilhões, com acumulado de US$ 20,852 bilhões no período de janeiro a junho (à época, 3,28% do PIB).

No acumulado de 12 meses encerrado em junho, o IED registra um saldo positivo de US$ 30,435 bilhões, o equivalente a 2,22% do PIB.

Remessa de lucros

As remessas de lucros e dividendos das empresas ao exterior somaram em junho US$ 3,396 bilhões, ante US$ 1,746 bilhão em junho do ano passado. No primeiro semestre, as remessas totalizaram US$ 18,993 bilhões, quase o dobro dos US$ 9,807 bilhões verificados no período de janeiro a junho de 2007.

As despesas com juros somaram em junho US$ 565 milhões, ante US$ 561 milhões em junho de 2007. No primeiro semestre, o gasto com juros somou US$ 3,356 bilhões, ante US$ 4,514 bilhões em igual período de 2007.

Investimento no exterior

O Investimento Brasileiro Direto no Exterior (IBD) somou US$ 1,042 bilhão em junho, segundo os números do BC divulgados hoje. A cifra é bastante superior ao registrado em junho do ano passado, quando o IBD somava apenas US$ 81 milhões. No acumulado do primeiro semestre de 2008, o investimento de companhias brasileiras em outros países totaliza US$ 8,579 bilhões, resultado que reverte o registrado no primeiro semestre de 2007, quando houve retorno do IBD equivalente a US$ 3,426 bilhões.

Compra de dólar

As compras de dólares pelo BC em junho somaram US$ 2 bilhões. Em junho do ano passado, as intervenções do BC totalizaram US$ 9,4 bilhões. No primeiro semestre, o BC comprou US$ 15,2 bilhões no mercado, ante US$ 57 bilhões em igual período do ano passado.

Dessa forma, as reservas internacionais brutas atingiram US$ 200,827 bilhões e a estimativa do BC até o fim do ano, que não considera previsão de compras a serem realizadas até dezembro, é de US$ 204,912 bilhões.

A dívida externa total do Brasil atingiu US$ 205,254 bilhões em junho, conforme estimativa do BC. O número é maior do que o registrado em março, quando a dívida era de US$ 201,637 bilhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.