Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Conta corrente fecha trimestre deficitária em US$ 12,1 bilhões

BRASÍLIA - A conta de transações correntes do Balanço de Pagamentos brasileiro foi deficitária em US$ 5,067 bilhões em março. O resultado foi mais marcado do que o apurado um mês antes, quando o déficit foi de US$ 3,252 bilhões.

Valor Online |

BRASÍLIA - A conta de transações correntes do Balanço de Pagamentos brasileiro foi deficitária em US$ 5,067 bilhões em março. O resultado foi mais marcado do que o apurado um mês antes, quando o déficit foi de US$ 3,252 bilhões. Em março do ano passado, o déficit correspondeu a US$ 1,559 bilhão. No primeiro trimestre de 2010, a conta corrente é deficitária em US$ 12,145 bilhões, ou 2,63% do Produto Interno Bruto (PIB). Em igual período de um ano antes, no entanto, o resultado era negativo em US$ 4,938 bilhões, o equivalente a 1,74% do PIB. Nos 12 meses terminados em março, o déficit na conta corrente se situou em US$ 31,509 bilhões, ou 1,79% do Produto Interno Bruto (PIB). Nos 12 meses imediatamente anteriores, houve US$ 28,001 bilhões de déficit, o equivalente a 1,66% do PIB. Os números abrangem dados da balança comercial, da conta de serviços e das transferências unilaterais do país. A conta de transações correntes mensura o desempenho das compras e vendas de bens e serviços de um país com o exterior. A conta corrente é formada por três itens: a balança comercial resultante de exportações e importações; a conta de serviços e rendas, que une fluxos de entradas nas diversas modalidades de empréstimos externos e de saídas para o pagamento de juros, remessas de lucros e de serviços em geral (como viagens e transportes); e as transferências unilaterais correntes, que são recursos enviados por brasileiros que moram no exterior. O resultado na conta corrente de março foi consequência de déficit de US$ 6,015 bilhões na conta de serviços e rendas. Na balança comercial, houve superávit de apenas US$ 668 milhões. Foi registrado ingresso de US$ 279 milhões nas transferências unilaterais correntes. Os dados são do Banco Central (BC). (Azelma Rodrigues | Valor)
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG