Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Consumo e exportações fazem PIB dos EUA desacelerar

O crescimento da economia dos Estados Unidos no segundo trimestre deste ano foi revisado para baixo, por conta dos ajustes nos gastos dos consumidores e nas exportações, mostraram dados do Departamento de Comércio americano, divulgados hoje. O maior componente do PIB (Produto Interno Bruto) - o gasto do consumidor - aumentou 1,2% no segundo trimestre, abaixo da estimativa anterior de alta de 1,7%, mas acima do avanço de 0,9% no primeiro trimestre.

Agência Estado |

O componente contribuiu em 0,87 ponto porcentual para o PIB.

Os gastos com serviços no segundo trimestre aumentaram 0,7%, ante estimativa anterior de alta de 1,3%. As compras de bens duráveis por consumidores caíram 2,8% no período, de um cálculo original de queda de 2,5%. Os gastos com bens não duráveis cresceram 3,9% no segundo trimestre.

O comércio internacional também teve contribuição menor para o PIB no segundo trimestre, de acordo com os dados revisados do Departamento. As exportações aumentaram 12,3%, ante estimativa anterior de alta de 13,2%. A queda das importações no segundo trimestre foi revisada para 7,3%, de 7,6% anteriormente. Assim, a balança comercial contribuiu em 2,93 pontos porcentuais para o PIB; anteriormente, o Departamento calculou contribuição de 3,10 pontos porcentuais. No primeiro trimestre, as exportações aumentaram 5,1% e as importações caíram 0,8%.

Empresas

As empresas aumentaram os gastos no segundo trimestre em 2,5%, dado revisado de alta anterior de 2,2%. No primeiro trimestre, esses gastos subiram 2,4%.

O Departamento do Comércio dos EUA revisou o dado de lucro corporativo das empresas, após tributos, no segundo trimestre deste ano para uma queda de 0,4%, a US$ 1,343 trilhão. A estimativa anterior era de aumento de 1% nos lucros. No primeiro trimestre, os lucros caíram 7,7%. Em comparação anual, os lucros tiveram queda de 7,1% no segundo trimestre de 2008.

As vendas reais finais de produtos domésticos - PIB menos os estoques privados - cresceram 4,4%, abaixo da estimativa anterior de aumento de 4,8%. No primeiro trimestre, a alta foi de 0,9%.

Os gastos do governo federal foram revisados para alta de 6,6%, de aumento de 6,8%. No primeiro trimestre, os gastos do governo aumentaram 5,8%.

PCE

O índice de preços dos gastos com consumo nos Estados Unidos (PCE) subiu 4,3% no segundo trimestre deste ano, uma revisão da estimativa anterior, de alta de 4,2%, informou hoje o Departamento de Comércio americano. No primeiro trimestre, o PCE subiu 3,6%.

O núcleo do PCE, que exclui as variações de preços de alimentos e energia, aumentou 2,2%, dado revisado ante estimativa anterior de avanço de 2,1%. No primeiro trimestre de 2008, o núcleo do PCE subiu 2,3%.

O índice de preços para compras domésticas brutas, que mede os preços pagos por cidadãos dos EUA, aumentou 4,2% no segundo trimestre, dado não revisado, após aumento de 3,5% de janeiro a março. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG