RIO DE JANEIRO (Reuters) - O consumo nacional de energia elétrica subiu 3,5 por cento em junho em relação a igual período do ano anterior, totalizando 31.943 gigawatts. As classes residencial e comercial foram destaque, com ambas tendo crescimento de 5,9 por cento, informou a Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Já a indústria teve incremento de 2,4 por cento em relação a junho do ano passado, sendo que a região Sudeste, onde se concentra o parque industrial brasileiro, registrou aumento de apenas 1,5 por cento nesse segmento.

'Houve, sobre esta taxa, a influência de variação negativa no Estado de São Paulo (-0,8 por cento), basicamente em consequência de 1,7 dia a menos no faturamento do grupo de média tensão na maior distribuidora da região (este grupo concentra 50 por cento do total do segmento)', explicou a EPE em um comunicado nesta terça-feira. A companhia em questão é a Eletropaulo.

No semestre, a alta do consumo de energia também foi de 3,5 por cento, enquanto a taxa acumulada em 12 meses subiu 4,5 por cento.

'Na análise semestral, constata-se que as taxas de crescimento vêm caindo, como consequência de consumos mais deprimidos das classes residencial e comercial, afetadas negativamente por temperaturas mais amenas em 2008', disse a EPE.

As residências tiveram aumento de 4,5 por cento até junho e o comércio alta de 4,6 por cento.

A redução da atividade industrial também impactou o consumo de energia no primeiro semestre, limitado a um aumento de 2,9 por cento, seja pela queda da produção de indústrias com a falta de insumos provocada pela greve da Receita Federal ou pelos preços altos no curto prazo, informou a EPE.

(Reportagem de Denise Luna; Edição de Roberto Samora)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.