Tamanho do texto

SÃO PAULO - A confiança do consumidor paulistano permaneceu estável em outubro, conforme o levantamento mensal promovido pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio). O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) - que avalia o otimismo ou pessimismo dos entrevistados numa escala entre 0 e 200 pontos - atingiu 139 pontos em outubro, com queda de 0,7% em relação ao mês imediatamente anterior.

Na comparação com o ICC registrado em outubro de 2007, houve aumento no otimismo de 3,6%.

O Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA) e o Índice das Expectativas do Consumidor (IEC), os dois indicadores que compõem o ICC, registraram mudanças tímidas na passagem de setembro para outubro. O ICA, que avalia a percepção do consumidor quanto à situação atua se elevou em 0,5%, com 137,5 pontos. Já o IEC, que mede a perspectiva dos consumidores quanto a sua situação futura, recuou 1,5%, para 139,9 pontos. Na visão da Fecomercio, essa variação do IEC já sinaliza a preocupação do consumidor quanto aos desdobramentos da crise global.

Na análise segmentada por faixa de renda, a Fecomercio aponta queda de 1,4% (145,9 pontos) entre os consumidores com rendimentos superiores a 10 salários mínimos. Entre os com renda inferior a esse patamar, a variação negativa foi de 0,2% (137,9 pontos).

Na avaliação segmentada por sexo, a Fecomercio revela que os homens ainda permanecem mais otimistas, com 141 pontos. As mulheres, por sua vez, registraram ICC de 137,1 pontos em outubro.

Os consumidores com mais de 35 anos também estão mais confiantes, com 137,6 pontos (alta de 2,5% neste período). O ICC dos paulistanos com menos de 35 anos caiu 4%, para 140,6 pontos.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.