Cinco das principais consultorias econômicas da Argentina sofreram ontem uma inesperada blitz em seus escritórios por ordem do juiz federal Claudio Bonadío. O juiz suspeita que essas consultorias tenham documentos confidenciais do Ministério da Economia que teriam sido roubados do governo.

Cinco das principais consultorias econômicas da Argentina sofreram ontem uma inesperada blitz em seus escritórios por ordem do juiz federal Claudio Bonadío. O juiz suspeita que essas consultorias tenham documentos confidenciais do Ministério da Economia que teriam sido roubados do governo. Diversas consultorias em Buenos Aires tornaram-se desde 2007 a principal fonte independente de estatísticas econômicas, já que os índices do governo da presidente Cristina Kirchner são suspeitos de intensa manipulação. Entre os índices governamentais desacreditados e maquiados estão os de inflação, desemprego e Produto Interno Bruto. Na contramão, os índices elaborados de forma paralela por consultorias são os únicos considerados "sérios" pelo mercado, a imprensa e a opinião pública. A blitz das consultorias foi mais um capítulo do escândalo iniciado no dia 16, quando Roberto Larosa, assessor do deputado Cláudio Lozano, do partido Projeto Sul, de esquerda, foi descoberto à noite - segundo o ministro da Economia, Amado Boudou - dentro de uma sala, "roubando" documentos confidenciais. Boudou também disse que Larosa poderia estar "plantando" documentos. O ministro afirmou que Larosa estava escondido debaixo de uma mesa. Lozano, outrora aliado dos Kirchners, tornou-se crítico do casal presidencial, aos quais acusa de "falsamente posar de progressistas". O deputado afirma que representa a verdadeira esquerda e que os Kirchners fazem o "jogo neoliberal". Economista e sindicalista da Central dos Trabalhadores Argentinos (CTA), central não alinhada com o governo, Lozano denunciou há poucas semanas que existiam estranhos vínculos entre Boudou e a Arcadia Advisors, consultoria financeira envolvida nas negociações da operação de reestruturação dos títulos da dívida pública no valor original de US$ 19 bilhões, que está em andamento. Larosa, que era fonte de jornalistas argentinos e assessor de bancos, está detido. Consultorias. Os homens de Bonadío vasculharam documentos e computadores das consultorias Ecolatina; Fundação de Investigações Econômicas Latino-americanas; Orlando Ferreres e Associados; M&S,, do economista Carlos Melconian, e a consultoria de Miguel Ángel Broda. A ordem foi emitida depois que a Justiça encontrou na casa de Larosa notas fiscais das consultorias com pagamentos que oscilavam entre US$ 180 e US$ 390. Informações extraoficiais sustentam que a descoberta de Larosa no Ministério da Economia foi o ponto de partida para o início de uma caça para descobrir quais são os funcionários que filtram informações para a oposição e para as consultorias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.