O nível de emprego na construção civil brasileira cresceu 6% no primeiro trimestre, com a contratação de 147.517 trabalhadores formais, segundo a pesquisa mensal do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O nível de emprego na construção civil brasileira cresceu 6% no primeiro trimestre, com a contratação de 147.517 trabalhadores formais, segundo a pesquisa mensal do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV). No mês de março, o nível de emprego aumentou 1,79% em relação a fevereiro. O montante equivale à contratação de 45.704 trabalhadores com carteira assinada.

O resultado divulgado hoje representa um novo recorde de 2,604 milhões de trabalhadores empregados com carteira. O indicador tem batido recordes históricos mensais desde julho do ano passado, com exceção de dezembro - período sazonalmente marcado por demissões. Em 12 meses, o nível de emprego no setor aumentou 14,19%, o que corresponde a mais 323.639 trabalhadores empregados.

No Estado de São Paulo, o nível de emprego na construção cresceu 1,65% em março, o equivalente a 11.695 contratações. Com isso, o número de trabalhadores passou a 721.170, outro recorde na série histórica. No acumulado do ano, a alta no Estado foi de 5,6% e, em 12 meses, de 12,55%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.