O banco alemão Hypo Real Estate, que corre risco de quebrar, obteve de um consórcio de bancos do país créditos suficientes para prosseguir suas atividades, segundo um anúncio feito na madrugada desta segunda-feira. Um consórcio do setor financeiro pôs a disposição uma linha de crédito suficiente a curto e médio prazo, informou a Hypo, especializada em financiamentos imobiliários.

Ontem, o Hypo teve várias conversas com status de urgência com o regulador bancário alemão Bafin e o Ministério das Finanças, informaram ontem fontes próximas à negociação. Vulnerável ao congelamento do setor de empréstimos bancários, o Hypo não tem depósitos de clientes para se apoiar em um momento em que os bancos estão cada vez mais relutantes em emprestar dinheiro umas para as outras.

As conversações começaram no fim de semana, após uma forte queda do preço das ações do Hypo. Segundo o jornal Financial Times Deutschland, o banco está próximo do colapso. Baseado em Munique, a instituição faz parte do índice DAX das 30 ações mais negociadas da Bolsa de Frankfurt.

Uma filial do banco, chamada Defta, precisa conseguir um financiamento bilionário de urgência e estava ameaçada por causa da crise. "É pouco provável que o HRE consiga desembolsar essa soma", disse o Financial Times. O Hypo Real Estate opera em vários segmentos, como o imobiliário, o de financiamento de administrações públicas e na gestão de ativos financeiros.

Um dos seus principais negócios do Hypo é emprestar recursos para governos, ajudando-os a tapar buracos temporários em seus orçamentos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.