BRASÍLIA - A primeira reestimativa de arrecadação a ser feita pelo Congresso em relação ao orçamento da União para 2009 deverá apontar uma receita líquida adicional em torno de R$ 8 bilhões. A informação foi dada ontem ao Valor pelo relator de receita do projeto, deputado Jorge Khoury (DEM-BA).

Ele destacou, no entanto, que esta é uma reestimativa ainda muito preliminar, que pode ser muito alterada a partir da revisão de parâmetros macroeconômicos que o governo ficou de encaminhar em novembro.

O projeto original prevê que as receitas primárias líquidas da União (exclui orçamento das estatais) vão chegar a R$ 662,42 bilhões. É sobre esse montante que poderiam ser acrescidos os R$ 8 bilhões. Conforme o deputado, diversos fatores permitiram elevar a previsão, sem mudança de parâmetros macroeconômicos. Um deles é a revisão da base sobre a qual a receita foi estimada pelo governo, considerada muito conservadora pelos técnicos do Congresso.

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, negou que o governo esteja planejando uma revisão da proposta orçamentária em função da crise mundial e perspectivas de desaceleração econômica.

(Mônica Izaguirre | Valor Econômico)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.