O Senado da Argentina aprovou nesta quarta-feira, transformando em lei, a expropriação das companhias Aerolíneas Argentinas (AA) e Austral, empresas com controle repassado ao Estado depois que o grupo espanhol Marsans deixou uma dívida de 890 milhões de dólares.

No total, 42 senadores votaram a favor e 20, contra; a oposição apóia a decisão, desde que a dívida fique em mãos da Marsans, não se transformando em novos compromissos para o Estado.

"Não há mal que dure cem anos. Esse mal durou 18 anos (desde a privatização). Agora, a Aerolíneas volta a ser de todos os argentinos", disse em entrevista à imprensa o parlamentar socialista Ariel Basteiro, quem apoiou o projeto do Governo.

dm/ls/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.