Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Congressistas americanos anunciam acordo sobre pacote econômico em US$ 789 bilhões

WASHINGTON - Líderes democratas e republicanos do Congresso americano anunciaram nesta quarta-feira que chegaram a um acordo sobre o plano de estímulo econômico proposto pelo presidente do país, Barack Obama. O anúncio foi feito pelo líder da maioria democrata do Senado, Harry Reid, que afirmou que o valor do plano será de US$ 789 bilhões entre cortes de impostos e gastos diretos por parte do governo.

Redação com agências internacionais |

 

O valor do pacote foi reduzido em relação à proposta aprovada ontem pelo Senado, de US$ 838 milhões, e à proposta da Câmara, que era de US$ 819 bilhões. 

O corte no valor, segundo o site do jornal New York Times, foi feito em incentivos para a compra de carros e casas.

Ele falou sobre o assunto ao final de uma conferência entre parlamentares da Câmara e do Senado que haviam votado, cada casa, textos diferentes. Reid explicou que o plano inclui um terço de alívio fiscal.

AP
O senador Harry Reid anuncia acordo sobre pacote econômico



As duas câmaras terão, agora, que aprovar o texto antes de submetê-lo ao presidente Barack Obama para ser promulgado.

O plano, destinado a atacar a crise econômica, visa a criar 3,5 milhões de empregos, declarou Reid.

Segundo a senadora republicana Susan Collins, que representa o estado de Maine, o plano vai colocar os americanos de volta para trabalhar, mas de uma maneira fiscalmente responsável. Para ela, a nova versão reduz os gastos previstos inicialmente pela câmara, mas é mais eficiente em termos de geração de empregos que a legislação aprovada no Senado. Segundo ela, 65% do valor do pacote são gastos do governo e 35% são créditos fiscais.

O pacote, aprovado ontem no Senado norte-americano, inclui propostas para ajudar empresas a obter novas restituições de imposto por meio da compensação com prejuízos em anos anteriores. O plano também prevê aumento nos gastos do governo, levantamento de fundos para benefícios de desemprego, assistência alimentar para os pobres e investimentos para criação de empregos em construção de pontes e rodovias, entre outras coisas.

(Com informações da AFP, EFE, Valor Online e Agência Estado)

Leia mais sobre crise financeira

Leia tudo sobre: crise financeiraobama

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG