Tamanho do texto

Viena, 16 mar (EFE).- As tensões em torno do polêmico programa nuclear iraniano aumentam a incerteza em relação ao mercado petroleiro e afetam o preço do barril de petróleo, advertiu hoje, em Viena, o ministro de Energia da Argélia, Chakib Khelil.

Neste momento, há bastante petróle sobrando no mercado, algo que deveria pressionar para baixo os preços do "ouro negro", admitiu o ministro um dia antes de participar de uma reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Khelil insistiu que, por enquanto, o grupo não deve alterar o nível de sua produção nem aumentá-la.

No entanto, levando em conta que as previsões para a economia mundial "são melhores que há um ano", em 2010 espera-se um crescimento anual na demanda por petróleo de 900 milhões e 1,6 bilhão de barris diários (bd). Um dos motivos é o aumento do consumo de energia na China e no Oriente Médio.

O ministro lembrou que outros fatores também incidiram sobre os preços, como a desvalorização do dólar, que barateia as compras, a especulação com matérias-primas e os conflitos geopolíticos. "A questão nuclear do Irã, em especial, cria grande incerteza", ressaltou o chefe da delegação argelina.

As declarações foram feitas dois dias depois dos membros da União Europeia (UE) terem anunciado que é preciso impor sanções unilaterais ao Irã caso uma resolução a respeito não seja aprovada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O consórcio petroleiro anglo-holandês Shell anunciou na semana passada que deixou de vender gasolina ao Irã, seguindo a prática de outras empresas do setor.

Como o Irã não tem refinarias suficientes, o país é obrigado a importar grandes quantidades de gasolina, apesar de ser o segundo produtor da Opep e o quinto exportador mundial de petróleo do mundo.

Os Estados Unidos e outras potências ocidentais suspeitam que o regime iraniano tenta fabricar uma bomba atômica de forma clandestina. O Governo de Teerã nega, assegurando que todas as suas atividades nucleares tem fins civis, especialmente a geração de energia elétrica.

Para Khelil, apesar desta situação o preço atual do petróleo, próximo aos US$ 80 por barril, é "justo" com uma tendência a subir ligeiramente, o que o situaria entre "os US$ 80 e os US$ 85 (por barril) no final de 2010". EFE Wr/pb-sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.